sábado, 11 de dezembro de 2010

Negócios da China



   Eles já invadiram países da Ásia, África e Europa e preparam sua investida nos Estados Unidos, na América Central e... no Brasil! Já em 2007 os primeiros veículos chineses começam a desembarcar em portos brasileiros.
   Para competir com os nacionais, a arma chinesa será o preço baixo. Estima-se que um automóvel compacto com motor de 1,1 ou 1,3 litro chegue ao país custando entre 20000 e 30000 reais, enquanto um sedã médio ou um utilitário esportivo ficaria entre 40000 e 50000 reais. Mesmo com o imposto de importação de 35%, os valores não ficarão muito longe dos similares nacionais, mas com a vantagem de terem em alguns casos equipamentos de série como ar-condicionado, airbag duplo e até freios ABS.
   De olho em mercados exigentes como o europeu e o americano, os chineses tratam de se mexer para tornar seus carros mais atraentes e confiáveis.

Marcas

Chery - Começou a montar seus carros em 1999. Dois anos depois, se associou à Shangai, maior fabricante do país, e viu sua produção triplicar. Quer entrar, entre 2007 e 2008, na Europa Ocidental e nos Estados Unidos. Expôs nos últimos Frankfurt e Detroit.

FAW - A First Automobile Works é o maior conglomerado automobilístico da China. Fundado em 1953, conta com 35 fábricas, 11 subsidiárias e 14 joint-ventures. Tem associações com Audi, Mazda, VW e Toyota.

Geely - Além do Brasil, negocia com Colômbia e Venezuela e quer entrar nos Estados Unidos em 2008. Também montou estande em Detroit e Frankfurt. Fundada em 1986, hoje produz 200000 veículos e quer crescer 50% nos próximos anos.

NaNjing - Representante da Fiat na China, onde monta Palio, Siena e Weekend, exporta para mais de dez países, incluídas Argentina, Espanha e Itália. Também possui sua própria linha de veículos, com a marca Soyat.

Effa Motors - Começa a vender nesta semana 89 carros dos modelos M-100 e ULC nas versões Picape, Furgão e Van, em seis concessionárias da Grande São Paulo.

Curiosidades

    A China sempre se destacou como sendo o país número 1 em falsificações. Tênis, roupas, aparelhos eletrônicos, brinquedos e CDs encabeçam a lista, mas quem poderia imaginar que a pirataria um dia chegaria aos automóveis?
    Pois chegou. O primeiro caso veio à tona em 2003, quando a Chery apresentou o compacto QQ, uma cópia do Chevrolet Spark.
Na mesma Chery, o utilitário Tiggo conseguiu a proeza de copiar dois concorrentes de uma só vez: a frente veio do Honda CR-V e a traseira do utilitário Toyota RAV4.

[quatro-rodas]

Nenhum comentário:

Postar um comentário