sábado, 8 de maio de 2010

FILME: A Hora do Pesadelo

   Há 25 anos, o primeiro "A Hora do Pesadelo" ("A Nightmare on Elm Street") surpreendeu com uma história intrigante, um vilão curiosamente carismático e, principalmente, uma violência exagerada, quase cômica de tão caricata. A refilmagem de Sam Bayer do clássico concebido por Wes Craven consegue trazer uma boa dose de surpresa também, mas por motivos diferentes, ainda que mantenha boa parte dos elementos que fizeram do filme original um sucesso.
   A história continua a mesma: o grupo de adolescentes Nancy, Quentin, Jesse e Kris (interpretados por Rooney Mara, Kyle Gallner, Thomas Dekker e Katie Cassidy, respectivamente) é aterrorizado por Freddy Krueger (Jackie Earle Haley), um sinistro homem de rosto queimado e uma luva com lâminas que aparece nos sonhos deles e é capaz de machucar - e até matar - enquanto eles dormem.
   Contudo, há uma mudança radical no tom da narrativa. Em vez de uma sequência meio desconjuntada de cenas que serve unicamente para criar situações em que os protagonistas são terrivelmente dilacerados em banhos de sangue entra um estilo mais contido e sombrio. Sam Bayer tenta trocar a violência exagerada por um terror psicológico e consegue criar uma obra coerente, mas que em troca perde muito do impacto.
   No final mantém o nonsense marcante do filme de 1984 e ainda abre uma deixa para uma provável continuação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário